Bem-vindo!

Blog Damásio

Compartilhar

Concurso INSS: governo Bolsonaro confirma contratação de militares para suprir carência de servidores

Na última quarta-feira (15), o governo federal afirmou que irá recrutar 7 mil reservistas militares para trabalhar na força-tarefa no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) com o objetivo de diminuir a fila de atendimento de pedidos de aposentadorias. A ação do governo revela que há um déficit considerável na autarquia e que o concurso INSS se torna uma necessidade para ser realizado.

De acordo com o INSS, há 1,3 milhão de pedidos estão em análise há mais de 45 dias, prazo legal para uma resposta do órgão. Os servidores e militares poderão ser liberados para trabalhar na análise dos pedidos para dirimir a fila de atendimento.

Foi cogitada a possibilidade de contratação de pessoal temporário. Porém, a utilização de pessoal da reserva foi considerada mais barata pelo governo.

Em 2019, o Ministério Público Federal (MPF) ingressou com ação civil pública cobrando a realização de novo concurso para efetivos

A utilização de ex-militares está prevista na lei que reestruturou o regime dos militares, aprovada recentemente pelo Congresso Nacional. O texto diz que o militar da reserva contratado para o desempenho de atividades de natureza civil, em caráter voluntário e temporário, receberá um adicional de 30% da remuneração. O pagamento será feito pelo órgão contratante – neste caso, o INSS.

As Forças Armadas contam com aproximadamente 150 mil reservistas e, com a nova legislação, que permite a utilização de ex-militares para que exerçam atividades civis no serviço público, a intenção é finalizar o estoque de pedidos até junho. Antes da nova lei, os reservistas somente podiam exercer a chamada Tarefa por Tempo Certo (TTC), em caráter temporário, apenas para atividades militares.

Como foi o último concurso INSS

No final de 2015, foi lançado o edital do concurso INSS com o objetivo de preencher 950 vagas. Um total de 800 oportunidades era na função de técnico e as outras 150 para analista – serviço social.

A banca organizadora do concurso INSS foi o Cespe/UnB e os participantes passaram por uma prova com questões no estilo certo ou errado.

O último certame, cujo resultado foi publicado no dia 4 de agosto, foi um dos mais concorridos da história. Ao todo, a seleção registrou nada menos que 1.087.789 inscrições, sendo 1.043.807 somente para técnico do seguro social – em número de inscritos, perdeu apenas para duas outras seleções: a da Caixa Econômica Federal (CEF) realizada 2014, com 1.156.744 candidatos; e a da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) promovida em 2011, com 1.120.393 participantes.

Considerando foram oferecidas 800 oportunidades para técnico, é possível concluir que a concorrência foi de aproximadamente 1.304 candidatos por vaga.

Gostou do conteúdo? Ficou interessado em algum concurso para 2019? Então fique de olho na abertura dos editais para concurso público  e continue acompanhando nossas notícias para se manter informado.

Gostaria de saber mais sobre nossos cursos?

Li e Aceito a Política de Privacidade