Bem-vindo!

Blog Damásio

Compartilhar

SER ADVOGADO É…

O título é provocativo. Busca levar o leitor à reflexão. O que, de fato, é ser advogado? Qual será a resposta se é que há apenas uma? Obviamente que para a reflexão exclui-se a imagem dos “lawyers” das séries televisivas que encantam por sua eloquência e trejeitos, pois são fictícios. O advogado real é mais parecido com um atleta que treina por dias, anos e tem uma oportunidade de conquistar a medalha nas Olimpíadas.

O art. 133 da Constituição Federal de 1988 enuncia apenas que a advocacia é indispensável à administração da Justiça. A referida norma é abrangente e não traduz a realidade. Pode-se inferir que o advogado tem a função de provocar o Judiciário quando um direito ou interesse de um cliente está ameaçado ou foi lesado, ou seja, é o profissional (não o único) que deve lutar pela defesa dos direitos fundamentais e pelo próprio regime democrático.

Nada obstante, a prática forense revela que ser advogado é ser diligente com o processo do cliente, considerando que não é apenas mais um que se patrocina. É ser paciente com o “tempo do processo”, mas também saber exigir a celeridade processual. É ser conciliador, pois muitos casos são resolvidos com um bom diálogo. É ser estudioso, eis que a legislação brasileira muda constantemente; é ser cordial e respeitoso com os demais envolvidos no processo, ainda que quando se está diante de arbitrariedades e injustiças. Mas ao mesmo tempo, é ser corajoso e combativo, não deixando, em nenhum minuto, de lutar pelo direito próprio ou alheio. Ser advogado é ser sincero com as partes, dizer “não” quando necessário; é ouvir, aconselhar e orientar. Ademais, é ser criativo; haja vista muitas soluções jurídicas exigirem pensamento fora do convencional. É ser resiliente, pois nem sempre a vitória é fácil, exige-se maleabilidade e adaptação. E não só. É ser empreendedor, eis que não se vive apenas de honrarias e glórias, há necessidade de se organizar, gerenciar a carreira, o escritório para ofertar um serviço de qualidade e cobrar os honorários.

Enfim, o advogado é a soma dessas inúmeras qualidades somadas à fé, esperança na ordem, na paz, na liberdade e na justiça. Aceito o desafio, vista sua indumentária, pegue seu “vade mecum” e “pela ordem”. 

 

Professor Paulo Peixoto 

Professor de Direito Constitucional e Direitos Humanos do Damásio Educacional.  
Mestre em Direito Político e Econômico.  Advogado e consultor jurídico.

Gostaria de saber mais sobre nossos cursos?

Li e Aceito a Política de Privacidade