Bem-vindo!

Blog Damásio

Compartilhar

Qual o melhor Vade Mecum para OAB?

A imagem contém um jovem em seu escritório com a mão apoiada no queixo e a expressão de dúvida sobre qual o melhor Vade Mecum para OAB.

Se você está se preparando para a prova da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), provavelmente está procurando qual o melhor Vade Macum para OAB. O nome significa: Vade Macum, do latim, “vai comigo”. De maneira simples, é um livro (físico ou virtual) que traz um compilado das legislações vigentes no Brasil.

No entanto, com a grande quantidade de livros jurídicos disponíveis no mercado, escolher qual o melhor Vade Mecum para OAB não é uma tarefa tão simples assim. 

Por esse motivo, o artigo de hoje vai mostrar para você qual o melhor Vade Mecum para OAB, os tipos de livros e como escolher o seu! Ficou interessado(a)? Então, acompanhe a leitura!

O que é Vade Mecum?

Antes de saber qual o melhor Vade Mecum para OAB, é importante conhecer mais sobre o livro. Resumidamente, a publicação reúne as principais leis brasileiras e as legislações mais importantes, como a Constituição Federal, o Código Civil, as Leis Trabalhistas, entre outras. 

Além disso, o Vade Mecum também está disponível apenas para uma área específica do Direito. Por exemplo, o Direito Tributário, com leis sobre tributação e pagamento de impostos.

Hoje em dia, com a expansão dos recursos tecnológicos, você pode encontrar o Vade Mecum em diversos tipos de mídias, como em arquivos digitais para leitura no smartphone, computador ou tablet. Com isso, ficou ainda mais fácil escolher qual o melhor Vade Mecum para OAB, já que você não precisa comprar vários livros pesados e robustos.

O que não pode fazer no Vade Mecum para OAB?

Bacharéis de Direito que desejam prestar a prova da OAB procuram muito pelo Vade Mecum. Afinal, o edital permite sua consulta durante a avaliação. No entanto, é fundamental você saiba o que pode e o que não pode fazer no livro durante a prova.

Sendo assim, é proibido:

  • Utilizar notas adesivas (post-its ou similares) com manuscritos, em branco ou impressas pelo próprio candidato(a);
  • Separar o código com notas adesivas, mesmo que elas estejam em branco;
  • Aplicar separadores de códigos fabricados por editoras ou demais instituições do mercado gráfico;
  • Uso de conteúdos impressos na internet, mesmo que seja o Vade Mecum.

Ao invés de fazer isso, é permitido durante a prova da OAB:

  • Utilizar marca-textos nas páginas, desde que o candidato não use-os para realizar a estrutura de elaboração em peças processuais;
  • Aplicar clipes, inclusive coloridos, para fazer a separação das páginas.

Ou seja, você pode adaptar o seu Vade Mecum para a prova da OAB, levando em consideração as permissões da Ordem, bem como as considerações expressas no edital do exame.

A imagem contém uma jovem em uma biblioteca segurando e olhando para um Vade Mecum. Após se perguntar "Qual o melhor Vade Mecum para OAB?", a jovem escolheu o ideal.
Saber qual o melhor Vade Mecum para OAB é fundamental para se preparar para o exame!

Quais são os tipos de Vade Mecum?

É possível encontrar vários tipos de Vade Mecum disponíveis no mercado. Aliás, é comum que uma mesma editora lance anualmente duas versões da publicação: uma tradicional (acadêmica) e outra compacta. As duas edições contam com a Constituição Federal, os principais Códigos, Estatutos e Leis, porém a versão tradicional é mais extensa que a compacta.

Se você está buscando qual o melhor Vade Mecum para OAB, normalmente a versão compacta é a mais utilizada pelos concurseiros. Afinal de contas, apesar da publicação tradicional ser completa, ela é extremamente grande e pesada, o que torna a consulta durante a prova da OAB um pouco complicada.

Você também pode adquirir o seu Vade Mecum com compilações específicas para certas áreas do Direito, contendo não só a legislação, mas também a doutrina, a jurisprudência, modelo de peças práticas e outros assuntos relacionados ao segmento jurídico.

Qual Vade Mecum usar na segunda fase da OAB?

Saber qual o melhor Vade Mecum para OAB, principalmente na segunda fase da prova, é encarar uma série de escolhas difíceis, ainda mais sabendo que há muitas opções disponíveis no mercado editorial. No entanto, o primeiro ponto refere-se à atualização da publicação. Ou seja, você precisa escolher o Vade Mecum com a última edição publicada.

Isso evita a consulta de alguma lei que já foi modificada, ou mesmo a aquisição de um Vade Mecum desatualizado, com informações não corrigidas pela editora. Sendo assim, antes de comprar o mais vendido, ou aquele livro que alguém indicou para você, faça uma pesquisa por conta.

Além disso, vale a pena consultar a lógica de distribuição das leis no Vade Mecum. Lembre-se que é um livro usado na prova da OAB, portanto, compare a diagramação, a análise do índice remissivo e veja se a busca por legislações específicas é intuitiva para você.

Ou seja, saber qual o melhor Vade Mecum para OAB é também analisar as suas próprias necessidades, considerando que você tem um tempo específico para a realização do exame e precisa consultar um livro fácil, rápido e prático.

Conhece alguém que está procurando qual o melhor Vade Mecum para OAB? Então, compartilhe esse artigo com essa pessoa para vocês encontrarem a publicação adequada para a prova OAB!

Gostaria de saber mais sobre nossos cursos?

Li e concordo com a política de privacidade, bem como com o tratamento dos meus dados para a finalidade prevista neste formulário. Ao continuar, você aceita que a DAMÁSIO e demais instituições de ensino do mesmo Grupo Econômico entrem em contato.